sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Uyuni - Potosi / BO



Bom, essa etapa da viagem realmente não foi tão detalhada, estávamos realmente sentindo que era a volta pra casa. Chegando do Salar fomos direto comprar nossas passagens de saída da cidade de Uyuni, passagem para as 6:30 em direção a Potosi por 35 bol. em seguida fomos conhecer a cidade e comer alguma coisa, havia milhares de pizzarias, mas por incrível que pareça nenhuma tinha pizza! Achamos então um quiosque tocando Bob Marley e lá ficamos, passamos a tarde por lá, comemos hambúrgueres, batatas fritas, refrigerantes e aqueles brasileiros juntos, comendo e bebendo atraiu outros brasileiros, e quando se formou 13 brasileiros ao nosso redor inicio-se uma sessão de cervejas, e outra e outra, não os acompanhei mas ri muito, disso lembro bem, quando chegou perto da hora de pegar o bus, as 17:30, todos foram atrás de banheiros para descarregar a cerva e continuar a aventura.

A viagem durou até as 1:30AM, logo que embarcamos no ônibus algo estava estranho, havia milhões de moscas dentro do ônibus, por todos os lados, fomos espremidos nos fundos e as moscas nos sobrevoavam, procurei e procurei o motivo, mas até hoje continua um mistério, no ônibus haviam baldes no chão e as pessoas entravam com mais baldes, e logo descobrimos que todos aqueles baldes eram pra servir de assento logo que todos os bancos estivessem ocupados.



Chegamos então a Potosi e tínhamos decidido não parar para dormir, e sim deixar para parar em Sucre, contudo eram 1:30 da manhã e não tinha mais ônibus para Sucre, as ruas estavam cheia de papeis e não aparentava ser uma cidade tão legal como haviam falado, achamos um taxista que nos ofereceu transporte até Sucre, e por 250 bol. fomos apertados em um carro para Sucre, ficou 50 bol. para cada.
No caminho descobrimos que a cidade estava suja daquele jeito porque durante o dia funciona um mercado ambulante, uma feira de produtos de todos os tipos, e pela madrugada é feita a limpeza, de toda aquela "Basura".

Seguimos então durante duas horas até Sucre...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

...e entrar para a história